Ações de combate à desertificação chegam a novas comunidades rurais de Carnaíba



Projeto investirá R$ 770 mil em obras para promover ganhos ambientais e sociais. Mais de 30 famílias serão beneficiadas com a iniciativa

As comunidades de Gangorra e Chico Pereira, na área rural do município de Carnaíba, Sertão do Pajeú, estão no foco de novas ações de combate à desertificação no semiárido de Pernambuco. A iniciativa envolve a construção de fogões ecológicos, banheiros, unidades produtivas, barragens sucessivas, recuperação de nascente, perfuração de poço e capacitações de agricultores. A ordem de serviço para iniciar as primeiras obras foi assinada, nesta sexta-feira (17), pelo secretário Estadual de Meio Ambiente e Sustentabilidade, José Bertotti, em evento com o prefeito de Carnaíba, Anchieta Patriota, e o deputado federal Danilo Cabral.


A iniciativa faz parte da segunda etapa do Projeto de Implantação de Módulos de Manejo Sustentável da Agrobiodiversidade e representa um investimento total na ordem de R$ 770 mil. “Esse projeto vem mudando a realidade de várias famílias no sertão e no agreste do Estado. Na comunidade da Matinha [Carnaíba], fizemos banheiros, poços e a unidade de beneficiamento de mel. Vamos seguir consolidando o que já foi feito aqui e apontar para o futuro ainda melhor. É nessa perspectiva que vamos trazer também para os moradores de Gangorra e Chico Pereira ações concretas, que gerem ganhos sociais e ambientais”, disse Bertotti.


O prefeito Anchieta Patriota também destacou a importância de ações parcerias, como essa, para a melhoria da qualidade de vida do sertanejo. “Ficamos muito felizes em ver uma ação iniciada em 2016 ter continuidade. Isso é algo muito importante para nós. Vivemos um momento de muita dificuldade de captação de recursos e a Secretaria de Meio Ambiente conseguiu captar essa verba para investir aqui, na melhoria da qualidade de vida do nosso povo e na preservação do meio ambiente”, colocou Patriota.


Danilo Cabral também ressaltou a importância do projeto. “Nós temos que procurar valorizar os bons exemplos e Carnaíba através da gestão de Anchieta, é um exemplo. Anchieta tem honrado a palavra que ele dar ao povo. O gesto que ele faz aqui na Matinha, é um símbolo de um compromisso que ele tem de governar para todos, ele governa tanto para a cidade quanto para a zona rural”, disse Danilo.

O projeto beneficiará mais 30 famílias nas duas comunidades. Essas pessoas vivem próximas a áreas prioritárias para realização de estudos com vistas à criação de Unidades de Conservação do bioma Caatinga. Por isso mesmo, os trabalhos vão começar pela implantação de melhorais habitacionais. Serão construídos 30 banheiros com fossas sépticas e 30 fogões agroecológicos, que promovem a eficiência da combustão, reduzem o uso de lenha, e canalizam a fumaça para fora do ambiente da casa.

Após as melhorias estruturais, serão implantadas 29 barragens sucessivas vinculadas a sistemas simplificados de abastecimento. Haverá ainda a criação de unidades produtivas de avicultura (galinheiros), perfuração de um poço artesiano e a recuperação de uma nascente na comunidade de Gangorra. O Projeto de Implantação de Módulos de Manejo Sustentável é desenvolvido em parceria com o Fundo Nacional de Mudanças Climáticas/Ministério do Meio Ambiente. Os recursos a serem investidos, nesta fase, são fruto de rendimentos financeiros originários da primeira etapa da iniciativa.

Mel – Durante a visita à comunidade da Matinha, o secretário José Bertotti conheceu a unidade de beneficiamento de mel, construída na primeira etapa do projeto. À época, os apicultores receberam a casa equipada com máquinas para extração e embalagem do mel, caixas de cria, abelhas, EPIs (equipamentos de proteção individual), além de capacitações. “Nossa ideia agora é fazer algumas melhorias para que a unidade de beneficiamento obtenha um selo de qualidade e possa conquistar novos mercados”, colocou.

Projeto - Iniciado em 2011, o projeto de Módulos de Manejo Sustentável - que integra as políticas estaduais de enfrentamento às mudanças climáticas - vem mudando a realidade de 400 famílias do semiárido pernambucano. Para tanto, foram construídos 12 poços artesianos, 298 banheiros com fossa e 338 fogões ecológicos. Também se criou 12 unidades produtivas e se promoveu 36 capacitações para agricultores, professores e gestores públicos dos municípios envolvidos.


Texto: Semas-Pe e Ivonaldo Filho
Fotos: Ivonaldo Filho 

Comentários

Anterior Proxima Página inicial