Bolsonaro resgata tempo do fogão a lenha


Quando o então candidato Jair Bolsonaro (PSL) propunha que o Brasil voltasse às origens, ele não estava brincando. A volta do fogão a lenha durante seu governo já é uma realidade haja vista o preço do gás de cozinha.

Sem emprego e sem dinheiro para comprar o “artigo de luxo”, que sobe de acordo com a variação do dólar e a cotação internacional do petróleo, os brasileiros estão recorrendo à lenha para poder cozinhar seu alimento diário.

Em Brasília, por exemplo, o preço do botijão de 13 kg custa R$ 105. Mas o aumento é uma realidade em todo o País. O combustível subiu 38% nas refinarias desde 2017, no entanto, o consumidor pagou mais do que isso no varejo.

Além da volta à idade da lenha, Bolsonaro também está proporcionando o retorno ao período da escravatura com a propalada reforma da previdência — quando o trabalhador laborava até morrer, direito algum.

No próximo dia 15 de maio, estudantes, educadores, familiares prometem o início da ‘grande virada’ contra os retrocessos de Bolsonaro com a greve nacional da educação.

O ápice do movimento paredista, englobando todos os setores da economia e da política, porém, dar-se-á na greve geral do dia 14 de junho. (Blog do Esmael)

Comentários

Anterior Proxima Página inicial