Em SP, 1º de Maio mostra a força do povo contra retrocessos de Bolsonaro


Enquanto Jair Bolsonaro insiste em governar (pelas redes sociais) como se ainda estivesse em campanha eleitoral e afunda o país em instabilidade, o povo tem dado mostras diárias de total descontentamento diante de sua política de retrocessos. Prova indiscutível foi dada neste 1º de Maio, quando trabalhadores e trabalhadoras das mais variadas categorias se uniram no centro de São Paulo para dar um recado claro ao atual desgoverno: nenhum direito a menos será aceito passivamente a partir de agora. 

Com ao menos 200 mil pessoas, o evento relembrou as grandes jornadas de luta da história recente nacional ao unir as principais centrais sindicais e lideranças de todos os partidos da oposição. Em comum, além do descontentamento generalizado com cortes na educação, perseguição aos movimentos sociais e a desastrosa política internacional, todos saíram as ruas para refutar a temida reforma da Previdência.

Um dos mais aguardados pela multidão que tomou conta do Vale do Anhangabaú foi o ex-ministro da Educação, Fernando Haddad, que mais uma vez deu uma aula ao despreparado presidente eleito a base de fake news. “Bolsonaro não está fazendo absolutamente nada de diferente do que o Temer já havia feito. Cadê o emprego e a renda? Só no mês passado perdemos 43 mil postos de trabalho com carteira assinada.  Nós na campanha dissemos que queríamos um livro numa mão e uma carteira de trabalho na outra, porque é o que acreditamos que vai levar o Brasil ao progresso: trabalho e educação

É um governo antipopular e antinacional, prossegue Haddad, o que faz o povo imediatamente ter saudades dos tempos em que um legítimo trabalhador brasileiro governava este país: Luiz Inácio Lula da Silva. “Nós não vamos ter paz e nem justiça enquanto Lula estiver preso. Nós queremos os bandidos na cadeia e Lula entre nós lutando pela dignidade e pela soberania deste país”. (Fonte: PT)

Comentários

Anterior Proxima Página inicial