Estudantes vão às ruas, sábado, para promover 'balbúrdia universitária'


Por Margarida Azevedo/ JC Online

Alunos de universidades federais do Brasil, afetadas pelo contingenciamento de 30% das verbas repassadas pela União, vão pra rua sábado (11). Não haverá passeatas. Em vez disso, mostrarão à sociedade a produção científica que desenvolvem nas instituições em que estudam. Irão explicar para a população os projetos dos quais participam e a importância que eles têm para o País. Será o Dia Nacional da Balbúrdia Universitária, uma referência à fala do ministro da Educação, Abraham Weintraub, que na semana passada disse que cortaria recursos das instituições que estivessem fazendo balbúrdia. De Pernambuco, estão confirmados estudantes das duas maiores universidades, Federal (UFPE) e Rural (UFRPE).

Essas duas instituições, mais a Federal do Vale do São Francisco (Univasf) e os Institutos Federal de Pernambuco (IFPE) e do Sertão Pernambucano (IF Sertão), tiveram juntas o bloqueio de R$ 126,6 milhões. Nacionalmente, o volume chega a pelo menos R$ 2,2 bilhões. A mais afetada no Estado, em valores absolutos, é a UFPE, com R$ 55,8 milhões retidos, seguida da Rural, com R$ 23,6 milhões. O IFPE teve bloqueado R$ 22,2 milhões, enquanto a Univasf contabilizou o corte de R$ 17 milhões. No IF Sertão serão R$ 8 milhões a menos nos cofres da instituição.

No sábado, os alunos estarão em três locais de Recife, um de Jaboatão dos Guararapes, na Região Metropolitana, e um em Vitória de Santo Antão, na Zona da Mata. Na capital os universitários vão, das 8h ao meio-dia, para a Praça do Derby (bairro de mesmo nome), Praça da Independência (bairro de Santo Antônio) e Parque Treze de Maio (em Santo Amaro).

Em Jaboatão será perto da estação de metrô de Jaboatão Velho. Em Vitória, vão se reunir na Praça da Bela Vista, no Centro. A mobilização está acontecendo pelas redes sociais, em especial o Instagram. Há várias contas com a palavra balbúrdia, acrescida da sigla da universidade.

Comentários

Anterior Proxima Página inicial