Bloqueio na educação pode ter impacto irreversível, dizem ex-ministros


Seis ex-ministros da Educação divulgaram hoje um manifesto em que afirmam que os bloqueios aplicados na área da educação pelo governo do presidente Jair Bolsonaro (PSL) podem ter efeitos "irreversíveis" e "até fatais".

"Contingenciamentos ocorrem, mas em áreas como educação e saúde, na magnitude que estão sendo apresentados, podem ter efeitos irreversíveis e até fatais. Uma criança que não tenha a escolaridade necessária pode nunca mais se recuperar do que perdeu", diz o documento, que foi assinado pelos ex-ministros José Goldemberg (governo Collor), Murílio Hingel (governo Itamar Franco), Cristóvam Buarque (governo Lula), Fernando Haddad (governo Lula), Aloizio Mercadante (governo Dilma) e Renato Janine Ribeiro (governo Dilma).

Para o ex-ministro Goldemberg, o documento representa um consenso entre os antigos chefes da pasta da Educação, que vem de diferentes partidos. Segundo ele, o governo atual vem tomando "medidas de caráter completamente alheios ao que se entende por educação".

A carta diz ainda que o atual governo trata a educação como ameaça. "Numa palavra, a educação se tornou a grande esperança, a grande promessa da nacionalidade e da democracia. Com espanto, porém, vemos que, no atual governo, ela é apresentada como ameaça." (Uol)

Comentários

Anterior Proxima Página inicial