Brasil quer evitar trauma dos pênaltis contra o Paraguai


JC Online

No que diz respeito ao histórico de determinado duelo, costuma ser unanimidade entre os jogadores de futebol o discurso de que “pouco importa o que aconteceu no passado”. Mas um fato, provavelmente, deve assombrar a seleção brasileira nesta quinta (27/6) se o confronto contra o Paraguai, marcado para as 21h30, na Arena Grêmio, em Porto Alegre, pelas quartas de final da Copa América, for definido nos pênaltis. Nas duas últimas edições do torneio, em 2011 e 2015, o adversário desta noite foi o algoz da equipe canarinho nas penalidades máximas.

Na edição disputada na Argentina, há oito anos, a equipe do então técnico Mano Menezes reproduziu algo raro. Em jogo válido pelas quartas, Elano, Thiago Silva, André Santos e Fred erraram suas cobranças e o Brasil viu o Paraguai avançar às semifinais depois de vencer por 2x0. Quatro anos depois, a situação não foi tão inusitada, mas a canarinho comandada por Dunga voltou a ser eliminada pelos paraguaios, na mesma fase, também nas penalidades. Everton Ribeiro e Douglas Costa não foram eficientes e o Brasil amargou derrota por 4x3, no torneio realizado no Chile.

Tite espera que a história de 2019 seja diferente. E, apesar da precaução exibida nos treinos, a ideia é resolver a classificação sem a necessidade de chutes de desempate. “Nunca vou estar tranquilo em cobranças de pênaltis. E continuo, aí sim, eu não mudo essa opinião, ela é conceitual, achando injusto penalidades máximas, pois personaliza sucesso ou fracasso. E na vida não é, no futebol não é. Quando se personaliza sucesso e fracasso é ruim”, disse o treinador.

As cobranças foram trabalhadas ao longo da semana com os jogadores. Os detalhes e estratégias de quem vai bater e como foram analisadas com mais cuidado na véspera do duelo com os paraguaios. “Ficamos satisfeitos nos dois treinamentos. Até para bater pênalti a gente tem estratégia. Tem treinador que treina uma quantidade enorme, tem uns que quase não treinam. Tem atletas que gostam de treinar mais, outros menos. A gente vai se preparar hoje a noite (ontem) para essa questão específica. O foco até agora foi no jogo em si, e o complemento nas penalidades”, contou o auxiliar técnico Cléber Xavier.

MUDANÇA

Na equipe que começa jogando, a única alteração em relação ao time que goleou o Peru por 5x0 será Allan na vaga de Casemiro, que cumpre suspensão. Fernandinho não foi relacionado, pois se recupera de lesão.

Comentários

Anterior Proxima Página inicial