Brasil vence Paraguai nos pênaltis em jogo enfadonho


Monótono, entediante, enfadonho e maçante. Essa pode ser a descrição da partida entre Brasil e Paraguai, na noite desta quinta-feira (27), pelas quartas de final da Copa América, na Arena do Grêmio. Apenas nos pênaltis o primeiro semifinalista do continental foi conhecido. Por 4×3, a seleção anfitriã garantiu a vaga entre as quatro melhores da América do Sul, com Alisson defendendo o primeiro chute paraguaio e Gabriel Jesus fazendo a derradeira cobrança.

Agora, o Brasil espera o vencedor do duelo entre Venezuela e Argentina. Este jogo acontece às 16h desta sexta-feira (28), no Maracanã. A semifinal está marcada para o dia 2 de julho, às 21h30, no Mineirão.

TEMPO DE GATITO

O que mais chamou atenção no primeiro tempo de jogo foi o estado do gramado da Arena do Grêmio. Bastante castigado, o campo foi palco de um início de jogo moroso. Não que não tenha acontecido perigo de gol. Mas as chances foram tão escassas, que foram facilmente esquecidas.

Logo aos três minutos, a seleção brasileira teve uma boa chegada. Com Daniel Alves como homem surpresa pelo meio da área, Firmino recebeu mais à direita e finalizou para defesa de Gatito. Porém, outra boa chegada só vinte minutos depois. Com uma saída errada do Paraguai, Coutinho aproveitou e entregou uma boa bola enfiada para Firmino. Na disputa com a zaga, ele não conseguiu manter a posse.

A seleção se aproximou da área com perigo mais uma vez aos 34 minutos, mas Firmino, mais uma vez, entregou nas mãos do goleiro paraguaio. Cinco minutos depois, Coutinho recebeu bem posicionado na grande área adversária, avançou e finalizou. Outra vez, Gatito.

UM POUCO DE ALISSON

Do outro lado, pouco se aproveitou da seleção paraguaia. Aos 27 minutos, foi a vez de Marquinhos sair errado. O Paraguai, porém, desperdiçou. No minuto seguinte, Derlis Gonzales recebeu já na pequena área e finalizou à queima roupa. Alisson fez grande defesa.

TEMPO DE DESPERDÍCIO

O segundo tempo começou ainda com a sensação de sonolência. O auge do início desta etapa foi o quase pênalti para o Brasil, aos 8 minutos. Firmino teria sido derrubado entrando na área, em cima da linha. O árbitro chileno Roberto Tobar apontou a penalidade, mas consultou o árbitro de vídeo e marcou falta, expulsando Balbuena. Na cobrança, Daniel Alves mandou pra fora

Em casa, Everton Cebolinha fez o que quis pela esquerda, aos 28 minutos desta etapa. Ele mandou na medida, no meio da área e Coutinho cabeceou errado. A bola sobrou para Gabriel Jesus, que finalizou muito mal para fora. O gremista seguiria tentando daquele lado, mas o desperdício era a tônica. Em uma excelente chance, ele finalizou firme em uma câmera posicionada atrás do gol.

EMOÇÃO FINAL

O finzinho do jogo trouxe alguma emoção, mas nada que apague o resto do jogo monótono. No último minuto do tempo regulamentar, antes dos acréscimos, Willian mandou uma bola na trave. O Paraguai, no contragolpe, avançou com Escobar recebendo na direita. A defesa do Brasil ficou pra trás e o jogador finalizou com a bola batendo em Arthur e saindo em escanteio.

PÊNALTIS

Com a igualdade sem gols, o jogo foi para os pênaltis, já que não há prorrogação na Copa América. Alisson defendeu a primeira cobrança Paraguai, seguido por um acerto de Willian. Almirón fez o primeiro dos paraguaios e Marquinhos também marcou na sequência. Depois, Valdez e Rojas marcaram, com Coutinho fazendo para o Brasil. Firmino e Derlis González mandaram suas cobranças para fora, mas Gabriel Jesus marcou o último e colocou a seleção anfitriã na semifinal.

FICHA DA PARTIDA – BRASIL (4) 0x0 (3) PARAGUAI

Brasil: Alisson, Daniel Alves (Lucas Paquetá), Marquinhos, Thiago Silva e Filipe Luís (Alex Sandro); Arthur, Allan (Willian) e Coutinho; Everton, Gabriel Jesus e Firmino. Técnico: Tite

Paraguai: Gatito Fernández, Piris, Balbuena, Gustavo Gómez e Alonso; Sánchez, Ortiz, Pérez e Arzamendia (Valdez); Almirón e Derlis González. Técnico: Eduardo Berizzo

Copa América 2019 (quartas de final) Local: Arena do Grêmio, em Porto Alegre (RS) Árbitro: Roberto Tobar (Chile) Assistentes: Christian Schiemann e Cláudio Rios (ambos do Chile) Cartões amarelos: Filipe Luis, Roberto Firmino e Arthur (B); Arzamendia, Piris e Alonso (P) Cartão vermelho: Balbuena (P) Público: 48.211 Renda: R$ 10.352.430

Fonte: Blog do Torcedor

Comentários

Anterior Proxima Página inicial