Movimentação de talude de mina da Vale em Barão de Cocais chega a 42,4 cm por dia, segundo ANM


A velocidade de movimentação da porção inferior do talude norte, da Mina Gongo Soco, da Vale, em Barão de Cocais, na Região Central de Minas Gerais, chegou a 42,4 centímetros por dia. A informação foi divulgada, neste domingo (2), pela Agência Nacional de Mineração (ANM).

Na última sexta-feira (31), uma porção do talude se desprendeu e se acomodou no fundo da cava da mina. De acordo com a Defesa Civil do estado, o fragmento tinha cerca de 600 m². Segundo o major Marcos Afonso Pereira, considerando a dimensão do talude, isso representa menos que 1% da área.

A Vale informou que a Barragem Sul Superior, a 1,5 km do talude, não foi afetada e que “as primeiras avaliações indicam que o material está deslizando de forma gradual, o que até o momento corrobora as estimativas de que o desprendimento do talude deverá ocorrer sem maiores consequências”.

De acordo com o Corpo de Bombeiros, 27 militares estão na região da Barragem Sul Superior, de prontidão, com 10 viaturas.

A princípio, a mineradora, a Defesa Civil e a ANM temiam que a constante movimentação do talude provocasse a sua queda de forma brusca. Em um cenário mais grave, a vibração do colapso poderia causar o rompimento da Barragem Sul Superior, que está em nível máximo de alerta desde março.

Esta barragem foi construída pelo método de “alteamento a montante”, o mesmo usado nas barragens que se romperam em Brumadinho e em Mariana.

Fonte: G1

Comentários

Anterior Proxima Página inicial