Nordeste tem maiores taxas de trabalho infantil


As regiões Nordeste e Sudeste registram as maiores taxas de trabalho infantil no país. Respectivamente, 33% e 28,8% dos 2,4 milhões de meninas e meninos trabalhando. Os dados são do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE-2016). Em termos absolutos, os estados de São Paulo (314 mil), Minas Gerais (298 mil), Bahia (252 mil) e Maranhão (147 mil) ocupam os primeiros lugares no ranking. Nas outras regiões, ganham destaque os estados do Pará (193 mil), Paraná (144 mil) e Rio Grande do Sul (151 mil).

Nesta quarta-feira (12), Dia Mundial de Combate ao Trabalho Infantil, a Secretaria Estadual de Desenvolvimento Social, Criança e Juventude (SDSCJ) promoveu uma caminhada em Olinda, com saída na Praça do Carmo. No dia 28, a ação é articulada para a Estação Central do Metrô no Recife, com a campanha Trabalho não é coisa de criança.

Durante todo o mês, também serão realizadas atividades de orientação e capacitação nos dias 12, 13, 26 e 27 nas cidades de Machados, Lagoa de Itaenga, Vitória de Santo Antão e Timbaúba, respectivamente. Nos encontros municipais, serão debatidos o conceito do trabalho infantil, os mitos e verdades e as causas e consequências da violação, além de ações estratégicas do Programa de Erradicação do Trabalho Infantil (PETI).

Com os festejos juninos, a SDSCJ também vai atuar nos polos de festa através do programa Atenção Redobrada, que desenvolve ações de prevenção, articulação, sensibilização e enfrentamento ao trabalho infantil, à exploração sexual, o consumo de substâncias psicoativas e a venda de bebidas alcoólicas.

O encerramento das atividades do mês de combate ao trabalho infantil acontece no dia 28, na Estação Central do Metrô no Recife. No local, técnicos estaduais irão distribuir panfletos educativos, além de alertar e orientar a população sobre o conceito do trabalho infantil, os malefícios da violação e as formas de denúncia. (Diário de Pernambuco)

Comentários

Anterior Proxima Página inicial