Festival de Cinema de Triunfo tem início nesta segunda no Sertão do Pajeú

Aquecendo o circuito audiovisual no Sertão do Pajeú, o tradicional Festival de Cinema de Triunfo dá início nesta segunda (05) a sua 12ª edição, que se estende até o sábado (10). Durante cinco dias, o evento promoverá mostras gratuitas de curtas e longas-metragens, oficinas de formação, debates públicos, além de homenagens a ícones do cinema pernambucano. Este ano, os escolhidos foram o cineasta Kléber Mendonça Filho e a atriz Lívia Falcão.

Serão mais de 70 filmes exibidos no histórico Cineteatro Guarany. Desse número, 33 deles – selecionados entre uma lista de inscrição com mais de 300 obras – concorrerão a honrarias nas mostras competitivas. Além de prêmios em dinheiro, variando entre R$ 2 mil e R$ 4 mil, as produções disputam os troféus em categorias de Melhor Longa-Metragem, Melhor Curta-metragem nacional, pernambucano, infantojuvenil, dos Sertões e o tradicional troféu Careta.

“A interiorização e democratização que o festival traz não se resume a acontecer em uma cidade no interior, mas também em prestigiar e exibir produções da região”, destaca Marcelo Canuto, presidente da Fundarpe. Nesse sentido, a curadoria do festival prezou pela diversidade. Dos 33 selecionados, 15 são pernambucanos, com mais da metade dirigido por mulheres – número que se estende a 17, no geral.

O festival também conta com outras sessões especiais. Entre elas, a VerOuvindo – exibindo filmes com acessibilidade comunicacional– a Criancine e a Cinema no Interior. Além delas, ocorrem mostras como a Cineclubista, Bela Criativa, Sesc, Semas, e a nova Mostra Absurda com obras nordestinas que propõe outras linguagens no campo da ficção.

PARALELO

Outro destaque desta edição foi o investimento em atividades paralelas, como debates (que agora acontecerão na praça) e oficinas – todas concebidas com ênfase na teoria e prática. Por exemplo, o júri popular, que também irá julgar filmes das mostras, será composto por alunos da Oficina de Crítica Cinematográfica, ministrada pelo professor da UFPE Rodrigo Carrero. Além disso, a oficina Documentando, com Marlon Meirelles, possibilitará aos jovens a oportunidade de realizar um documentário digital. A tecnóloga Márcia Lohss também estará presente com o interessante curso Atuação Orgânica, dando ênfase em técnicas de atuação.

“O festival é um entre quinze que acontecem em Pernambuco. E nesse, importante ressaltar, o estado é o grande organizador, consolidando uma política em Pernambuco que, mesmo com essa batalha que acontece na Ancine, segue apoiando a produção no nosso território”, ressaltou o secretário de Cultura, Gilberto Freyre Neto.

A Cepe também marca presença em Triunfo. A editora irá levar a Tenda Literária Cepe, com palestras e debates ligadas a sétima arte – com a participação de nomes como Emilie Lesclaux, Luciana Veras, Ana Farache, Paulo Cunha e Luiz Joaquim.

Comentários

Anterior Proxima Página inicial