Procuradora citada em vazamento pede desculpas por ironizar a morte de Marisa


Na noite desta terça-feira (27), a procuradora da República Jerusa Burmann Viecili utilizou sua conta no Twitter para pedir desculpas ao ex-presidente Lula por ironizar morte da sua esposa, Marisa Letícia. Jerusa e outros procuradores estariam envolvidos em mensagens trocadas em chats do aplicativo Telegram e analisadas pelo UOL em parceria com o site The Intercept Brasil.

"Errei. E minha consciência me leva a fazer o correto: pedir desculpas à pessoa diretamente afetada, o ex-presidente Lula" escreveu a procuradora.

Jerusa disse ainda que "uma mensagem não autentica todo o conjunto", indicando que a veracidade das mensagens vazadas é restrita. "A existência de mensagens verdadeiras não afasta o fato de que as mensagens são fruto de crime e têm sido descontextualizadas ou deturpadas para fazer falsas acusações", completou.

"Os procuradores da Lava Jato nunca negaram que há mensagens verdadeiras, exatamente porque foram efetivamente hackeados. Contudo, não é possível saber exatamente o quanto está correto, porque é impossível recordar de detalhes de 1 milhão de mensagens em 5 anos intensos", explicou a procuradora.

Quando a morte de Marisa foi confirmada oficialmente, a notícia foi divulgada por Julio Noronha no grupo Filhos de Januário 1, e Jerusa Viecili respondeu: "Querem que eu fique pro enterro?".

Marisa Letícia sofreu um AVC hemorrágico no dia 24 de janeiro de 2017 e foi internada no hospital Sírio-Libanês, em São Paulo. A morte encefálica da ex-primeira-dama foi confirmada em 3 de fevereiro de 2017. Por: Paloma Xavier - Site e redes sociais/Diário de Pernambuco

Comentários

Anterior Proxima Página inicial