Bachelet diz que existem "muitas dúvidas" sobre processo contra Lula



Fonte: Jamil Chade/Uol

Atacada pelo presidente Jair Bolsonaro, a ex-presidente do Chile se recusa a comentar se considera que Lula é ou não responsável pelos crimes que pesam sobre ele. Ela foi citada por Leo Pinheiro, da OAS, em um repasse de dinheiro. Mas nega qualquer envolvimento.

GENEBRA – A Alta Comissária dos Direitos Humanos da ONU e ex-presidente chilena, Michelle Bachelet, afirmou que existem "muitas dúvidas" sobre o processo contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, condenado no Brasil.

Em entrevista à Televisão Nacional do Chile (TVN), na noite deste domingo, ela deixou claro que não iria se pronunciar sobre as acusações que pesam contra o brasileiro, alegando desconhecer os detalhes do processo. Mas teceu comentários.

O caso de Lula está sob exame em outro órgão da ONU, o Comitê de Direitos Humanos, e deve ter uma conclusão no primeiro semestre de 2020. Em 2016, os advogados do ex-presidente recorreram à entidade, alegando que o então juiz Sérgio Moro não era imparcial e que o devido processo legal havia sido violado.

Bachelet não tem qualquer papel neste outro organismo. Mas, em meio aos ataques contra ela feitos pelo presidente Jair Bolsonaro, a chilena lembrou que o atual chefe-de-estado brasileiro já havia declarado que ela era "amiga de Lula".

Comentários

Anterior Proxima Página inicial