Deltan teria considerado concorrer ao Senado e via necessidade do MPF 'lançar um candidato por Estado"


De acordo com mensagens reveladas nesta terça-feira (3) entregues por fonte anônima ao The Intercept Brasil, o procurador Deltan Dallagnol considerou durante mais de um ano se candidatar ao Senado nas eleições de 2018. Em um chat consigo mesmo, uma espécie de espaço de reflexão do procurador, ele chegou a se considerar “provavelmente eleito”. Foi o que informou o Diário de Pernambuco. 

Também examinou a possibilidade de proporcionar a mudança que desejava implantar no país, que dependeria de “o MPF lançar um candidato por Estado”, ou seja, uma atuação partidária do Ministério Público Federal, o que é proibido pela Constituição.

Ainda de acordo com as mensagens, a candidatura não era apenas um plano pessoal de Dallagnol, e sim, um desejo de procuradores que ia além da Lava Jato e do Paraná. Em vários momentos, Deltan diz que teria apoio da força-tarefa caso decidisse concorrer, o que indica que a possibilidade foi tema de debates internos.

Além disso, o procurador também deixa margem para o entendimento de que resolveu as candidaturas de figuras como o jurista Joaquim Falcão, professor da Fundação Getúlio Vargas no Rio de Janeiro, ex-presidente da Fundação Roberto Marinho e membro da Academia Brasileira de Letras.

Ver na íntegra aqui!

Comentários

Anterior Proxima Página inicial