Efeito Bolsonaro: Taxa de desemprego se mantém em alta


A taxa de desemprego no país se mantém em 11,8% no trimestre encerrado em agosto deste ano. O índice é inferior aos 12,1% do mesmo período do ano passado e aos 12,3% do trimestre em maio deste ano. Apesar de leve recuou, o desemprego continua atingindo mais de 12 milhões de brasileiros.

Os dados são da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad), divulgados nesta sexta-feira (27) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O total de desempregados chegou a 12,6 milhões em agosto, 3,2% a menos (ou 419 mil) do que em maio deste ano (13 milhões), mas estável em relação a agosto do ano passado.

O quadro apresentado pelo IBGE revela a política econômica desastrosa da dupla Bolsonaro e Paulo Guedes, que mantém altas taxas de desemprego, precarização e crescente desalento. Além de uma quadro latente de recessão na economia do país.

A população ocupada (93,6 milhões) cresceu 0,7% em relação a maio (mais 684 mil) e 2% na comparação com agosto do ano passado (mais 1,84 milhão de pessoas). Informação é do Blog do Esmael.

Comentários

Anterior Proxima Página inicial