Gilmar Mendes diz que membros da Lava Jato cometeram crimes


O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Gilmar Mendes, voltou a criticar duramente a cúpula da Operação Lava Jato.

Em entrevista recente, Gilmar afirmou que o STF não pode se curvar à popularidade do ministro da Justiça, Sergio Moro, e que membros da Lava Jato deveriam assumir que foram “crápulas”, confessar seus crimes e sair de cena.

Para ele, as mensagens hackeadas divulgas pelo site Intercept desnudam um “jogo de promiscuidade” no seio da operação.

“Simplesmente dizer: nós erramos, fomos de fato crápulas, cometemos crimes. Queríamos combater o crime, mas cometemos erros crassos, graves, violamos o Estado de Direito”, afirmou o ministro.

Na entrevista, Gilmar defende ainda o encerramento do “ciclo de falsos heróis”, em alusão a Moro e ao procurador Deltan Dallagnol, coordenador da força-tarefa da operação em Curitiba.

Gilmar acrescentou que o STF e o Congresso foram vilipendiados pela Lava Jato e pela mídia.

“Esse fenômeno de violação institucional não teria ocorrido de forma sistêmica não fosse o apoio da mídia. Portanto, são coautores dos malfeitos”, complementou o ministro, segundo o site Congresso em Foco.

Fonte: Renova Mídia

Comentários

Anterior Proxima Página inicial