Direção do PSL prepara ofensiva para barrar investidas de Bolsonaro


A guerra suja e sem quartel avança no interior do PSL. O clã Bolsonaro pretende obter o controle político total do aparelho burocrático e das finanças do partido, um precário ajuntamento eleitoral que abrigou o projeto presidencial de Jair Bolsonaro. Diante da situação, o deputado Luciano Bivar (PSL-PE), presidente nacional do PSL, prepara uma ofensiva para conter as arremetidas de Bolsonaro.

Segundo o jornal Folha de São Paulo, a direção do PSL está cotando empresas para realizar uma auditória nas contas do partido, uma reposta às ameaças de Bolsonaro, que cobra auditoria dos exercícios fiscais de 2014 a 2019 da sigla.

O comando do PSL também reúne argumentos para questionar a atuação da advogada Karina Kufa, que deixou de representar a legenda para defender só a Bolsonaro. A ideia é provocar debate ético: Tendo atuado até agora para o partido, pode trabalhar contra ele?, diz um dirigente ligado ao grupo de Bivar.

Bolsonaro trava uma batalha para controlar de vez o partido ou obter uma saída organizada que preserve os mandatos de bolsonaristas e aliados.

Além disso, Eduardo Bolsonaro já trabalha com a hipótese de construção de uma legenda “pura” de extrema-direita, que seria batizada com o nome de “Conservadores”.

*Com informações da Folha de São Paulo

Comentários

Anterior Proxima Página inicial