Mandetta: vacina de sarampo deve ficar mais cara para SUS por alta demanda global


O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, afirmou nesta segunda-feira, 30, que o custo da vacina de sarampo deve aumentar por causa da alta procura mundial. O imunizante é oferecido pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Segundo ele, há falta de fornecedor global de vacinas para a quantidade comprada pelo País.

"Ontem (domingo), o Brasil propôs uma reunião estendida, com mais de dez países, onde pautamos a questão da vacina e a crise de vacina, que é global, já que o sarampo voltou em praticamente todos os continentes. Os Estados Unidos estão numa luta enorme contra o sarampo, México com dificuldade de abastecer, e o Brasil com São Paulo concentrando os casos, e pouquíssimos produtores mundiais de vacina. Imaginamos que o preço da vacina deve ter tendência de alta, porque vai acabar prevalecendo a lei de mercado", disse Mandetta, a jornalistas, em Washington. O ministro participa de reunião de ministros da Saúde das Américas na Organização Pan-Americana de Saúde (Opas), na capital americana.

O ministro afirmou que o País foi apoiado a levar a pauta para a Organização Mundial da Saúde, para que as metas de 2020 e 2030 sobre vacinação considerem o tema como um bem imaterial da humanidade. "O Brasil percebe uma falha de mercado na produção de vacinas global", afirmou Mandetta.

Ainda sobre sarampo, o ministro voltou a dizer que há dificuldade em lidar com "uma geração inteira que só tomou uma dose" da vacina. "O Brasil tem uma boa cobertura para primeira dose, que é feita aos 12 meses, mas não tem uma boa cobertura para a segunda dose do sarampo", afirmou. Por: AE

Comentários

Anterior Proxima Página inicial