Carne sobe 18% e puxa prévia da inflação em dezembro

Carne bovina

A alta dos preços da carne impactaram o índice prévio da inflação brasileira em dezembro, que subiu acima do projetado para o mês, conforme os dados divulgados pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) nesta sexta-feira (20).

O IPCA-15 (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo-15) subiu 1,05% no mês, ante a um aumento de 0,14% em novembro.

A aceleração superou as expectativas de economistas ouvidos pela agência Bloomberg e pela Reuters, cujas estimativas para o mês previam ambas um avanço de 0,95%.

A forte alta ocorreu sob o peso dos preços das carnes, que avançou 17,7% na relação dezembro com novembro, com um impacto no indicador final de 0,48 ponto. O aumento foi impactado tanto pelo preço do contrafilé (20,1%) e filé-mignon (14,11%) quanto da carne de porco (7,3%).

"Além da questão dos chineses, há o consumo de fim de ano. Nessas épocas de festas, o brasileiro acaba consumindo mais carne", disse André Braz, economista do Ibre (Instituto Brasileiro de Economia) da FGV (Fundação Getulio Vargas).

​"Com o passar das festas, a tendência [de consumo de carne] deve diminuir. Não é que a situação da carne vá melhorar, mas o preço vai deixar de subir nesse ritmo."

O nível do IPCA-15 de dezembro deste ano foi o mais alto para o indicador desde junho de 2018 (1,11%) e o mais forte para o mês desde 2015 (1,18%).

Mesmo com o forte avanço, no acumulado de 12 meses o índice fechou em 3,91%, ainda abaixo do centro da meta do BC (Banco Central), de 4,25% com margem de 1,5 ponto percentual para mais ou menos. Em novembro o acumulado foi de 2,67%.

Devido ao movimento da carne, o grupo de alimentação e bebidas apresentou a maior variação ao subir 2,59%, de alta, ante de 0,06% em novembro.

Contribuíram ainda para o resultado do grupo, com forte peso no bolso do consumidor, outros itens como o feijão-carioca (20,38%) e as frutas (1,67%).

O banco Goldman Sachs, em seu relatório sobre o índice, também alertou para o peso da alta nos preços das passagens aéreas (15,6%) e das loterias (36,7%).

No caso dos bilhetes aéreos, a alta variação impactou o desempenho dos preços do setor de transportes, que avançou 0,9% em dezembro, ante a alta de 0,3% em novembro. Na avaliação de Braz, esse movimento nos preços das passagens de avião devem cair no índice de janeiro. (
Por: Folhapress)

Comentários

Anterior Proxima Página inicial
Blog do Ivonaldo Filho - Todos os Direitos Reservados. Tecnologia do Blogger.