Olha o tamanho do pibinho do Bolsonaro: 0,6% no 3º tri e 1,2% em um ano


O pibinho do presidente Jair Bolsonaro decepciona os trabalhadores, mas alegra a velha mídia e os especuladores do mercado financeiro. De acordo com o IBGE, o Produto Interno Bruto (PIB) do capitão ficou em 0,6% no 3º trimestre e alcançará 1,2% em um ano.

A projeção ainda pode ser revista pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, órgão oficial de estatísticas do governo federal.

Se o pibinho de Bolsonaro é pequeno, a concentração de renda continua gigante e o desemprego uma enormidade.

A força obreira e o povo brasileiro, já penalizado com a dieta do ovo, não têm o que comemorar. Seus interesses são diferentes dos da burguesia golpista, que busca ludibriar mais uma vez o eleitorado nas vésperas de 2022.

No âmbito do capital está “tudo” dominado.

Rede Globo, por exemplo, abriu a série sobre o otimismo. Só faltou adotar o slogan da ditadura ‘Brasil, ame ou deixe-o’ ao apresentar ufanisticamente uma suposta recuperação econômica.

Para o andar de baixo as coisas só pioraram desde o golpe de 2016, apoiado pela emissora de televisão dos Marinho.

Os números que realmente interessam à Nação são estes:
Desempregados e precarizados (informais): 36,8 milhões de pessoas;
Trabalhadores com carteira assinada no setor privado: 33,2 milhões de pessoas;
Desempregados 12,4 milhões de pessoas;
Trabalhadores sem carteira assinada 11,9 milhões de pessoas.

TOTAL GERAL

  Desempregados, precarizados e sem carteira: 48,7 milhões de pessoas;
  Empregados com carteira assinada: 33,2 milhões de pessoas.
De nada adianta PIB, inflação baixa ou outra vigarice. O que realmente importa aos trabalhadores é a possibilidade de emprego “bom” e renda para lhe garantir conforto. O resto é enganação da velha mídia e controle ideológico da massa. A informação é do Blog do Esmael.

Comentários

Anterior Proxima Página inicial