Alta do dólar impacta no preço do dia a dia, como a gasolina e o pãozinho


Com o dólar renovando máximas históricas a cada dia, quem costuma comprar produtos importados ou que depende de insumos vindos de fora está pagando mais caro por eles. Vários produtos comuns nas casas dos brasileiros podem ficar mais caros, do pãozinho francês aos remédios. Quem não abre mão de importados, como azeite, bacalhau e vinho, também vai sentir no bolso. Mesmo produtos nacionais podem ficar mais caros, porque a indústria utiliza insumos vindos do exterior.

“Qualquer matéria-prima eventualmente é afetada, podemos ter o trigo um pouco mais caro, o combustível, qualquer produto vindo do exterior”, disse o professor do Departamento de Economia da Universidade de Brasília (UnB) José Carlos de Oliveira. Maria Aparecida, 33 anos, moradora do Novo Gama (GO), espera não ter aumento no pão. “Hoje em dia, já não está barato. Se aumentar, o jeito será procurar novas formas de tomar café da manhã. Comer biscoitos, por exemplo”, disse.  

O motorista de aplicativo Lucas Vieira, 24 anos, morador do Recanto das Emas, está preocupado com um possível aumento da gasolina por causa da subida do dólar. “Para quem trabalha com o automóvel, gasolina afeta, e muito, o orçamento. Tenho que procurar os menores preços em grupos de aplicativo”, contou. 

No entanto, no caso do combustível, não é só a variável cambial que pesa na política de preços praticada pela Petrobras. O valor do barril de petróleo no mercado internacional também conta, e vem caindo vertiginosamente por conta da restrição de demanda provocada pelo surto de coronavírus. Tanto que a estatal decidiu reduzir em 9,5% o preço da gasolina nas refinarias. Por: Correio Braziliense

Comentários

Anterior Proxima Página inicial
Blog do Ivonaldo Filho - Todos os Direitos Reservados. Tecnologia do Blogger.