Manifesto crítico a Bolsonaro une PT, PSDB, religiosos e intelectuais

O grupo suprapartidário Movimento Estamos Juntos, de políticos e outras figuras públicas, incluindo artistas, escritores e religiosos, assina manifesto contra o que chamam de “desmandos de qualquer governo”. A crítica ao presidente Jair Bolsonaro é implícita. A mensagem foi publicada na forma de anúncio nos 3 maiores jornais do país: Folha de S.Paulo, Estado de S. Paulo e Globo.

“Como aconteceu no movimento Diretas Já, é hora de deixar de lado velhas disputas em busca do bem comum. Esquerda,  centro e direita unidos para defender a lei, a ordem, a política, a ética, as famílias, o voto, a ciência, a verdade, o respeito e a valorização da diversidade, a  liberdade de imprensa, a importância da arte, a preservação do meio ambiente e a responsabilidade na economia”.

O manifesto é assinado pelas seguintes pessoas, entre outras:

Fernando Henrique Cardoso – ex-presidente da República (PSDB)

Fernando Haddad – ex-prefeito de São Paulo (PT)

Flavio Dino – governador do Maranhão (PC do B)

Odilo Sherer – cardeal arcebispo de São Paulo da igreja Católica

Monja Cohen – religiosa budista

Caetano Veloso — cantor e compositor

Chico Cesar – cantor e compositor

Lobão – cantor e compositor

Luciano Huck – apresentador de TV

Fernanda Montenegro – atriz

Antonio Fagundes – ator

Marcos Nanini – ator

Paulo Coelho – escritor

Petra Costa – cineasta

Fernando Meirelles – cineasta

Oded Grajew – empresário

Maria Alice Setúbal – educadora e acionista do Itaú

Cristovam Buarque – ex-senador (PPS)

Jean Willys – ex-deputado (Psol)

Nelson Jobim – ex-presidente do STF

Celso Lafer – ex-ministro das Relações Exteriores (governo FHC)

Tostão – ex-jogador de futebol e comentarista esportivo

Walter Casagrande – ex-jogador de futebol e comentarista esportivo

Outro grupo, de 710 advogados, publicou omanifesto com o título: “Basta!”, com referências mais diretas a Bolsonaro, ainda que sem citar o nome do presidente. Diz o texto: “O Brasil, suas instituições, seu povo não podem continuar a ser agredidos por alguém que, ungido democraticamente ao cargo de presidente da República, exerce o mandato que lhe foi conferido para arruinar com os alicerces de nosso sistema democrático”.

Esse manifesto é assinado por Pierpaolo Cruz Bottini, Antonio Carlos de Almeida Castro (Kakay), Antonio Mariz de Oliveira, Ricardo Tepedino e Roberto Livianu, entre centenas de nomes. Eis a íntegra do informe.


Comentários

Anterior Proxima Página inicial
Blog do Ivonaldo Filho - Todos os Direitos Reservados. Tecnologia do Blogger.