Alunos sem internet e computador perdem quase 90 pontos na redação do Enem


Com a escola fechada devido à pandemia do coronavírus, a jovem Camila Kaliane, 18, tenta manter uma rotina de estudos com a ajuda do celular para continuar se preparando para o Enem (Exame Nacional do Ensino Médio). Aluna do terceiro ano do ensino médio de um colégio público em Natal, ela não tem computador em casa.

"Comparado a alguns colegas meus, a minha situação ainda é boa. Na minha turma, que tem 40 alunos, quando o professor dá aula [à distância], só 12 assistem. Os outros não têm internet e não conseguem acessar", conta.

Agravada pela pandemia, a desigualdade no acesso às ferramentas tecnológicas já tinha tido reflexos no desempenho dos candidatos que fizeram o Enem no ano passado. Levantamento realizado pelo UOL com base nos microdados do Enem 2019 mostra que a nota média na prova de redação de quem declarou ter internet e computador em casa é 86,6 pontos maior do que a de quem informou não ter essas ferramentas. No exame, a prova de redação vale de zero a 1.000 pontos.

Dos mais de 5 milhões de inscritos no Enem no ano passado, 19,6% informaram não ter computador e internet em casa. Para analisar o desempenho, o UOL considerou apenas os 3,7 milhões de alunos que realizaram todas as provas.  (UOL)

Comentários

Anterior Proxima Página inicial
Blog do Ivonaldo Filho - Todos os Direitos Reservados. Tecnologia do Blogger.