domingo, 15 de dezembro de 2019

Comissão aprova duas acusações contra Trump


A Comissão de Justiça da Câmara dos Deputados dos EUA aprovou ontem, por 23 votos a 17, as duas acusações redigidas contra o presidente Donald Trump - obstrução de Justiça e abuso de poder. Agora, os dois artigos do impeachment serão levados para votação em plenário - e devem ter aval da maioria democrata. A votação deve ocorrer na próxima semana.

A acusação precisa de uma maioria simples para ser aprovada. No entanto, no Senado, controlado pelos republicanos, a destituição do presidente precisa de maioria de dois terços para ser aprovada. O líder republicana no Senado, Mitch McConnell, disse à Fox News, na quinta-feira, que "não há nenhum risco de o presidente ser destituído".

"Farei o que quiserem. Olhem, não fiz nada de errado, portanto, tanto faz curto ou longo", disse Trump a jornalistas, respondendo à pergunta se preferia um julgamento político breve. "Toda essa coisa de impeachment é uma farsa, uma fraude. Estes democratas estão sendo ridículos", acrescentou o presidente.

Trump disse que o processo está sendo "muito triste" para o país mas está sendo "muito bom" para ele, pois, segundo assegurou, as pesquisas dispararam em seu favor.

Os democratas acusam o presidente republicano de ter pressionado o governo da Ucrânia, ameaçando suspender a ajuda militar americana para obter uma investigação sobre o democrata Joe Biden, seu principal rival na eleição de 2020, e o filho dele, Hunter, que trabalhou em uma empresa ucraniana.

Os democratas também acreditam que Trump tentou obstruir as investigações, ao bloquear os esforços do Congresso, que tem o dever constitucional de supervisionar as ações do Executivo.

Trump instruiu funcionários antigos e atuais de seu governo a não deporem ou fornecerem documentos aos deputados, levando autoridades graduadas, como o secretário de Estado, Mike Pompeo, a desafiarem intimações da Câmara.

No fim da noite de quinta-feira, durante uma audiência de várias horas da Comissão de Justiça da Câmara dos Deputados, o presidente do órgão, Jerry Nadler, adiou a votação prevista sobre as duas acusações do impeachment, alegando que desejava dar tempo aos membros do comitê para refletir sobre as provas apresentadas contra Trump. Por: AE

Nenhum comentário:

Postar um comentário