sexta-feira, 21 de fevereiro de 2020

Após bater R$ 4,40 pela 1ª vez na história, dólar passa a operar em queda

Cédulas de dólar — Foto: Visual Hunt

O dólar bateu pela primeira vez na história nesta sexta-feira (21) o patamar de R$ 4,40, mas mudou de rumo e passou a ser negociado em queda.

Às 12h34, a moeda norte-americana era negociada a R$ 4,3785 na venda, em queda de 0,30%. Na abertura, chegou a R$ 4,4061 – nova máxima nominal intradia já registrada no país. Na mínima da sessão até o momento chegou a R$ 4,3725. Veja mais cotações.

Já o dólar turismo era negociado a R$ 4,5720. Nas casas de câmbio, considerando a cobrança de IOF (Imposto sobre Operações Financeiras), chegou a ser oferecido acima de R$ 4,60 para compra em papel moeda e a R$ 4,84 no cartão pré-pago.

Entre os fatores que influenciaram a mudança de rota, investidores citam a divulgação nos Estados Unidos de dados ruins sobre a atividade nos setores de manufatura e serviços, com as empresas cada vez mais preocupadas com os impactos do coronavírus na economia global. O Índice IHS Markit caiu para 49,4 em fevereiro, o menor desde outubro de 2013, segundo a agência Reuters.

Na sessão anterior, o dólar encerrou o dia vendido a R$ 4,3917, em alta de 0,61%, marcando novo recorde nominal (sem considerar a inflação) de fechamento. Na máxima do dia, chegou a R$ 4,3982 – maior cotação nominal intradia até então, segundo dados do ValorPro.

A marca de R$ 4,40 é o maior valor nominal já registrado. Considerando a inflação, no entanto, a maior cotação do dólar desde lançamento do Plano Real foi a atingida no final de 2002. Segundo a Economatica, com a correção pelo IPCA, a máxima histórica é a do dia 22 de outubro de 2002, quando a moeda dos EUA fechou a R$ 3,9552, o equivalente atualmente a R$ 11,016.

O dólar acumulou até a véspera alta de 2,49% no mês. No ano, o avanço chega a 9,52%. (G1)

Nenhum comentário:

Postar um comentário