terça-feira, 16 de junho de 2020

Auxílio emergencial deve ser de R$ 400 na 4ª parcela

Começou a temporada de aumento do auxílio emergencial. Jair Bolsonaro já está convencido de que a 4ª parcela do benefício deve ser reduzida de R$ 600 para R$ 400 –e não para R$ 300, como havia sugerido o ministro Paulo Guedes (Economia).

O governo já havia feito uma concessão a a respeito do valor do chamado coronavoucher quando o benefício foi criado. No início, Guedes propunha que o bônus fosse de R$ 200 por mês; no Congresso, sob pressão, o governo chegou a 3 parcelas de R$ 600.

Agora, a história se repete. Primeiro o governo falava que não haveria prorrogação. Depois, que seria algo na redondeza de R$ 200 por mais 2 ou 3 meses. Subiu para R$ 300. Agora, já está em R$ 400. (Poder 360)

Nenhum comentário:

Postar um comentário