sexta-feira, 6 de novembro de 2020

Biden se aproxima da vitória, e Trump insiste em denunciar fraude

O presidente Donald Trump reiterou, sem fornecer evidências, que houve fraude nas eleições americanas, nas quais se considera o vencedor, enquanto os resultados nos estados-chave apontam que seu rival Joe Biden se aproxima da vitória na manhã desta sexta-feira (6).

Biden parece fortalecido pela contagem de votos no estado da Geórgia, crucial na batalha pela presidência e onde o candidato democrata agora supera Trump por alguns votos, de acordo com várias redes de televisão dos EUA.

"Se contarem os votos legais, ganho facilmente. Se contarem os votos ilegais, podem tentar nos roubar a eleição", disse o presidente republicano em uma entrevista coletiva na Casa Branca na quinta-feira, dois dias após a votação.

Trump repetiu essas afirmações em um tuíte na manhã desta sexta-feira. Três dias depois de uma eleição tensa, na qual a pandemia de covid-19 deu impulso à votação pelo correio, o fim da apuração dos votos em estados altamente disputados pode determinar quem obterá o número mágico de 270 votos do Colégio Eleitoral necessários para ganhar.

Em sua terceira corrida à presidência, Biden se mostrou confiante em sua vitória ao lado de sua companheira de chapa, Kamala Harris, insistindo na quinta-feira em que os eleitores sejam pacientes e que o resultado será conhecido "muito em breve".

"Continuamos nos sentindo muito bem sobre onde as coisas estão. Não temos dúvidas de que, quando a contagem acabar, a senadora Harris e eu seremos os vencedores", declarou o ex-vice-presidente de Barack Obama de seu feudo em Wilmington, Delaware.

Biden, 77, somava pelo menos 253 votos eleitorais, de acordo com as projeções da mídia dos EUA, e 264 se o Arizona for incluído, onde a Fox News e a agência AP projetaram sua vitória.

Trump, de 74 anos, tinha 214 e, embora sua reeleição ainda seja possível, suas chances diminuem à medida que a contagem avança. Por AFP

Nenhum comentário:

Postar um comentário