Prefeito de Flores Marconi Santana cede entrevista ao nosso blog, leia e ouça.



O nosso blog entrevistou na tarde desta terça-feira (20/06/2017), o prefeito Marconi Santana (PSB), do município de Flores, localizada no Sertão de Pernambuco, e na ocasião, o gestor abordou vários assuntos, entre eles, o gestor falou de como encontrou o município deixado pela gestão passada, as ações que já foram implantadas durante esses seis meses de sua gestão, e as ações que estão por vir.

Na matéria escrita, está apenas um resumo da entrevista, mais você pode ouvir na íntegra no final da matéria. Clique e ouça.

BIF: Marconi antes demais nada, parabéns pela vitória que você obteve, é a primeira vez que o nosso blog está lhe entrevistando, e a gente aproveita a oportunidade para lhe parabenizar pela vitória que você teve aqui no município de Flores?

 Marconi: Agradeço a sua presença aqui, seu blog renomado aqui na região do pajeú e no estado de Pernambuco, então estou aqui a disposição para responder as suas perguntas.

BIF: Marconi fale pra gente, como foi que você recebeu o município de Flores ao assumir no dia primeiro de janeiro, deste ano 2017?

Marconi: Olhe Ivonaldo acho que a demanda maior que a gente teve que nos esforçar bastante, foi à questão das edificações em todo município, nós pegamos todas as edificações, as escolas com o telhado deteriorando, os móveis na sua maioria, os postos de saúde municipais, questão do Hospital Público Municipal que pegamos quase que ao chão, faltando muitos equipamentos, ar condicionado, próprio raio - x quebrado, as ambulâncias, recebemos só uma ambulância, as demais todas elas faltando peça, quebradas, as máquinas, os ônibus sem pneu, a caçamba sem pneu, a Patrol sem pneu, pneus trocados, os pneus velhos, os novos em alguns ônibus, quer dizer uma questão muito séria, inclusive o prédio da prefeitura, nós não adentramos nele, em virtude de ta com avaria na parte elétrica, na parte hidráulica, e na edificação do prédio, então o corpo de bombeiro deu um laudo, e nós tivemos que alugar um novo prédio pra funcionar a prefeitura.

BIF: Então pelo que estou vendo você recebeu, foram umas atrocidades em algumas pastas Marconi:

Marconi: Na maioria delas não é, inclusive as coisas ainda estão chegando, ta chegando obras que foram paralisadas, e que vão continuar paralisadas devido a erro do engenheiro civil, a partir do projeto, principalmente a fundação de algumas obras, então isso mostra que não houve uma seriedade na questão pública, mas, a gente levantou a cabeça e já estamos desde o princípio, desde de primeiro de janeiro deste ano, trabalhando em grupo, nossos funcionários trabalham dia e noite, pra que gente possa vivenciar hoje o que estamos vivenciando, um novo município, uma nova gestão, e a população com seu semblante alegre, em ver as coisas acontecerem no município. Dentre elas, as ações que já implementamos no município, são as ações que está chegando a aqueles menos favorecidos, como é o Bairro do Cemitério, onde a gente saneou todinho e calçou, a questão do “Ilumina Flores” onde várias lâmpadas, vários postos faltava também o braço da luz, nós já colocamos o “Ilumina Flores” que é o programa, já conseguimos acender mais de 250 postes, e colocar mais de 60 braços de luzes, dentre a sede do município, Distrito de Fátima, Distrito de Sítio dos Nunes, o Povoado do Tenório, o Povoado do Saco do Romão e o Povoado de Santana de Almas, dentre as ações que a gente vem aprofundando,a gente priorizou evidentemente a educação também, na educação a gente reformou logo nos primeiros dias de aula, reformamos algumas escolas, já implementamos fardamento escolar, em toda a rede municipal para mais de 3.335 alunos, um kit escolar onde acompanha a bolsa, um caderno, um lápis, uma lapiseira, uma régua  e um caderno, fora a camisa, e na creche a gente colocou também short e blusa, a gente ta dando uma dinâmica nova, a todo alunado da rede municipal de ensino, além de melhorar bastante a questão da merenda escolar, levando uma merenda de qualidade onde ofertamos quatro tipo de carne: Frango, peixe, bode e gado, além da carne Charque também que implementamos, então é uma demanda que a gente visualiza, que a criança estando bem alimentada, ela vai corresponder no ensino do professor.


BIF: E o Professor quando é valorizado, ele tem mais disponibilidade pra trabalhar, e não é diferente aqui em Flores, a valorização da educação aqui no município.

Marconi: Muito não é, e a gente pegou praticamente uma educação em baixa na região do Pajeú, várias escolas municipais tiraram quase que zero em matemática e português, então a gente ta soerguendo a educação, buscando as capacitações dos professores, já fizemos capacitações este ano de professores, fizemos capacitação de merendeira, de vigia, de porteiros pra que a gente viabilize uma educação melhor, integração entre todos aqueles funcionários da educação conjuntamente com os pais dos alunos, então a gente quis fazer essa integração. Aplicamos uma prova este mês agora de maio, uma prova titular do saepe, pra saber como vai à demanda estudantil do nosso município, uma prova do nosso próprio município, então a gente vai ter o resultado nesses próximos dias, pra saber como devemos agir na educação pra melhorar onde não há suficiência de notas boas, então a gente vai reparar isso. A questão do Diário Eletrônico que vem facilitar a vida do professor, a vida dos pais que vai poder ter um acompanhamento mais de perto, nele ta lá as notas, a freqüência escolar do aluno, isso vai interagir, eu próprio prefeito vou ter no meu Smartphone ou no meu celular vou acompanhar de perto também, a escola, como é que ta a situação do alunado e etc.

BIF: O Hospital continua ofertando os serviços a população florense num é Marconi?

Marconi: Ofertando, e hoje oferta mesmo num é, no passado infelizmente não havia essa oferta, havia muita propaganda, mais hoje graças a Deus, o que é de respeito atenção básica do município nós estamos fazendo, além disso, nós temos cardiologista, fisioterapeuta, nutricionista, radiologista, que inclusive consertamos o raio - x, ele quebrou de novo e estamos empreendendo esforços financeiros para comprar um novo para o hospital, quer dizer há uma demanda. Conseguimos um novo programa para a área de saúde que é o “Masf”, que atende a todos os agentes comunitários de saúde, através de uma ferramenta fundamental que é um programa, onde todos os agentes comunitários de saúde, são 54 receberam um tablet, onde ele faz a demanda, um relatório de visita as comunidades, as pessoas através deste tablet.

BIF: Sistema Simplificado de água do Tenório, é um sonho realizado para aquela comunidade num é Marconi?

Marconi: Mais de 60 anos de luta deles, onde quem recebia salário mínimo de 937 reais, gastava 400, 500 reais por mês comprando água, e hoje graças a Deus, não vão comprar mais, então vão ter essa receita a mais, pra melhorar a educação dos seus filhos, as suas residências, sua alimentação, e melhorar a vida das pessoas que ali residem na Zona Rural do município, e eu fico muito alegre em poder ter possibilitado isso, junto com o governador Paulo Câmara, com o deputado federal Danilo Cabral, deputado estadual Joaquim Lira, junto do nosso secretário de agricultura Nilton Mota que também nos ajudou bastante, e estamos aí, já está funcionando a adutora, já está chegando água e vamos lutar, é uma luta constante pra que as coisas aconteçam, pra que o município cresça, desenvolva e se torne o lugar melhor pra nós que moramos e aqueles que nós adotamos.

BIF: Marconi agora o que foi uma festa e a gente ver no semblante dos moradores que eu estive lá ultimamente, a população de Fátima, o asfalto a construção muito importante, e teve a sua participação, foi através também do seu parceiro governador Paulo Câmara que fez uma obra de tão grande importância como esta?

Marconi: Olhe é uma obra de muitos anos, pessoas morreram se doando pra que aquela estrada saísse, eu conheço vários deles: Primo de Souza Guerra, tantos outros, Antônio Fausto, Jaime Pereira, o próprio Diva Pereira que não faleceu ta lá, mais foi um lutador, eu, meu tio Edilton Santana, meu pai Wilson Santana, meu avô quando a estrada ainda era carroçável, já lutava pra que a gente pudesse ter o asfalto que temos hoje. Então é uma luta de muita gente, de muitos partidos, mais cada um teve a sua participação no seu tempo, e nós conseguimos ter a nossa participação lá atrás no ano de 2010, quando teve as enchentes lá no Distrito de Fátima, e nós publicamos um decreto de situação de emergência, onde Fátima ficou sitiada, ilhada, em virtude das grandes correntes de água nos riachos circunvizinhos ao Distrito, e a gente possibilitou junto ao governador Eduardo Campos à liberação, nós conseguimos liberar as pontes, pontilhões e o novo transfer da estrada que mudou de um local para outro, nós fizemos isso, foi o início para que a estrada pudesse ser asfaltada, por que se não tivesse as pontes e os pontilhões prontos, jamais teria feito de imediato, mais a gente conseguiu lá atrás isso, conseguimos no princípio de 2012, fazer a licitação, que foi justamente essa licitação de 2012, que a obra não começou em virtude do estado não ter dinheiro, que saiu lá em 2016, foi à mesma licitação.

CLIQUE E OUÇA A ENTREVISTA NA ÍNTEGRA:



Comentários

Anterior Proxima Página inicial