Juízes defendem Favreto: ‘Independência judicial é pilar do Estado de direito’



A Associação Juízes para a Democracia (AJD) divulgou nota na tarde deste domingo (8) manifestando apoio ao desembargador Rogério Favreto, que determinou a soltura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, decisão contestada primeiro pelo juiz Sérgio Moro, e depois por membro do próprio TRF 4, do qual o magistrado faz parte.

“(…) a garantia da independência judicial é um dos pilares do próprio Estado Democrático de Direito e deve ser praticada por todos os cidadãos, inclusive pelos integrantes do próprio Poder Judiciário. Incabível, assim, que magistrados de instâncias inferiores ou de mesma instância profiram contraordens à decisão de segundo grau, analisando a validade ou não dessa, especialmente no curso do período de férias e não estando nem sequer na escala de plantão”, diz a nota.

Para Laura Rodrigues Benda, presidenta do Conselho Executivo da AJD, “a decisão do desembargador (Rogério) Favreto tem que ser cumprida”. “É muito perigoso esse imbróglio por conta do que significa em relação ao Estado Democrático de Direito. O Favreto está em plantão, tendo sido designado para apreciar o habeas corpus e com plena competência. Se houver uma eventual mudança da decisão tem que ocorrer pelos meios previstos na Constituição e pelo devido processo legal.”

“Não pode um juiz de instância inferior e nem mesmo de instância igual avocar o processo. Nesse sentido, manifestamos nossa solidariedade ao Favreto e denunciamos o risco ao Estado Democrático de Direito, existem outros meios para que a decisão seja contestada”, ratifica, no mesmo sentido de outra análise, do jurista Lenio Streck.

Fonte: Rede Brasil Atual

Comentários

Anterior Proxima Página inicial