Magistrados visitam a Vigília e se solidarizam com Lula, assista


A Vigília Lula Livre teve nesta quinta-feira (21) participação de 12 magistrados que vieram a Curitiba trazer sua solidariedade ao ex-presidente Lula, preso político há 349 dias na sede da Polícia Federal. O juiz Edevaldo Medeiros foi quem visitou representando o grupo. “É nossa obrigação como juízes defender a democracia, o Estado de Direito e o Poder Judiciário. Não viemos aqui afrontar o Judiciário. Viemos dizer que  somos parte do Judiciário e queremos que nossa instituição funcione bem”, disse Medeiros após o encontro com Lula.

Nenhum presidente brasileiro combateu mais a corrupção do que Lula, afirmou Medeiros, citando a estruturação física e das carreiras no Judiciário e no Ministério Público Federal. Ele defendeu que o combate à corrupção deve ser feito por meio das instituições, sem espaço para heroísmo pessoais de quem quer que seja. “Hoje temos um poder paralelo não condizente com a Constituição Federal”, observou. “Não podemos permitir o achincalhamento do STF”, defendeu.

A presença dos 12 magistrados na Vigília começou já no tradicional bom dia ao ex-presidente. O desembargador Mário Sérgio Pinheiro (TRT da 1ª Região) apontou o uso político que está sendo feito do Judiciário. “Estamos em um momento em que a Justiça é instrumento usado por determinados setores da sociedade para fazer uma política de repressão aos movimentos sociais e aos trabalhadores”, disse.

Pinheiro ressaltou que não cabe a magistrados questionar a decisão de outros juízes, mas é importante deixar claro que o Judiciário não é monolítico em relação às decisões judiciais contra Lula. “O cidadão que está preso lá não é apenas um homem, é o que ele representa. Queremos, com nossa presença aqui, expressar que parte do Judiciário tem avaliação diferente do que está acontecendo”, afirmou.

Logo depois do bom dia, o desembargador Rui Portanova (TJ-RS) cantou e tocou no violão uma canção que fez para o pai dele e que o faz pensar em Lula. “Do fundo dessa treva/ Seu nome se erguerá/ Testamento do povo/ Nos oferecerá/ Sua história, seu destino/ Nosso hino em sua mão/ Certeza de quem vence/ Desafios em construção”, dizem os versos que emocionaram a militância. Em seguida os magistrados participaram de uma roda de conversa com os militantes sobre a conjuntura do Judiciário.

Participaram das atividades na Vigília o juiz federal Edevaldo Medeiros (SP); Magda Biavaschi, desembargadora aposentada do TRT4, professora e pesquisadora colaboradora no Cesit/IE/Unicamp; André Luiz Machado, Juiz Titular da 1a Vara do Trabalho do Cabo de Santo Agostinho/PE; Maurício Brasil, Juiz de Família em Salvador-BA; Germana de Morelo, Juíza do Trabalho  TRT/17 – Nona Vara do Trabalho de Vitória; Lucy Lago, Juíza Titular da 9 Vara do Trabalho de Vitoria-ES; Mario Sergio M. Pinheiro, Desembargador do Trabalho 1a Região; Raquel Rodrigues Braga, TRT RJ; José Augusto Segundo Neto, juiz do trabalho – TRT6; José Antonio Correa  Francisco Juiz do Trabalho Substituto da 11a Região; Leador Machado, juiz da segunda vara do trabalho de Araguaína – TO; e Rui Portanova, Desembargador no Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul.

Por Luis Lomba, da Agência PT de Notícias direto de Curitiba

Comentários

Anterior Proxima Página inicial
Blog do Ivonaldo Filho - Todos os Direitos Reservados. Tecnologia do Blogger.