Pelo de cabra é tema de palestras realizadas em Serra Talhada, Petrolândia e Sertânia no Sertão


Nos dias 25 e 26 de julho, a Unidade do Sebrae no Sertão Central, Moxotó, Pajeú e Itaparica promoveu, em parceria com as prefeituras de Serra Talhada, Petrolândia e Sertânia, a palestra Cashmere Brasileira, fibra do pelo de caprinos como oportunidade de renda.
A palestra foi ministrada por Lia Coelho, doutoranda do Instituto de Zootecnia da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ), cujo objeto de pesquisa é a cashmere produzida com pelo de cabras brasileiras e afirma que é a mais fina e de melhor qualidade do mundo.

De acordo com a pesquisadora, especialista em microscopia eletrônica, a qualidade da cashmere nacional supera a de tradicionais regiões produtoras como China, Nepal, Mongólia, Afeganistão, Himalaia e Irã. O motivo é a espessura da fibra, que tem apenas 8,46 micrômetros, em média, enquanto a do Nepal, que era a mais fina até agora, tem 12 micrômetros. Um micrômetro equivale a um milionésimo de metro. Além disso, segundo Lia, a cashmere de cabras brasileiras tem fator de conforto de 100%, acima do máximo observado até agora, entre 96% e 98%.“Não tem nada mais fino comparado com a nossa [cashmere], das cabras nascidas no Brasil”, disse.

Segundo a analista do Sebrae, Raquel Silva, com essa qualidade, é possível vender a fibra por cinco vezes o valor de outras. “É mais uma oportunidade de geração de renda, com a vantagem de não ter barreira sanitária, ou seja, não há empecilhos à comercialização gerando renda imediata para os produtores”, informa.

Comentários

Anterior Proxima Página inicial