Cresce número de agressores de mulheres em ações de reeducação em PE


Cresceu o número de homens que passam por grupos de reeducação após agredir uma mulher no estado de Pernambuco. Entre janeiro e setembro de 2019, a Gerência de Penas Alternativas e Integração Social (Gepais) atendeu 771 agressores, número 46% maior que o mesmo período de 2018, quando foram 527 acompanhamentos. Os dados são da Secretaria de Justiça e Direitos Humanos (SJDH), que controla o Gepais e celebra, nesta quinta-feira (10), o Dia Nacional de Luta Contra Violência contra a Mulher.

Nos chamados de grupos reflexivos, homens que agrediram mulheres têm acesso a palestras e discussões sobre gênero e relações familiares, para que não voltem a reincidir no crime. Fruto de uma parceria entre a SJDH e o Tribunal de Justiça de Pernambuco, os grupos do Gepais estão presentes em Recife, Garanhuns, Caruaru e Santa Cruz do Capibaribe.

Os cumpridores que participam dos grupos praticaram crimes de menor potencial ofensivo, como lesão corporal leve, ameaça, violência psicológica, moral e/ou patrimonial. Eles se reúnem a cada 15 dias nas Centrais de apoio às Medidas e Penas Alternativas (Ceapas) de cada município, através de uma equipe de advogado, psicólogo e assistente social.

“Os grupos reflexivos para homens autores de violência doméstica permitem aos participantes cumprirem não somente a medida ou pena alternativa aplicada, mas também, promove sua integração social através da discussão sobre a violência de gênero e a reflexão como forma de responsabilizá-lo pelo ato praticado", explica o secretário de Justiça e Direitos Humanos, Pedro Eurico. Por: Diario de Pernambuco

Comentários

Anterior Proxima Página inicial