Alcione é a nova cidadã pernambucana


A cantora maranhense Alcione recebeu nesta quinta (31), da Assembleia Legislativa de Pernambuco, o título de cidadã do estado. A "Marrom", como é apelidada pelos fãs, tem uma grande identificação com o público pernambucano, sendo bastante referenciada nas expressões de samba do estado através das escolas Gigantes do Samba e Galeria do Ritmo, e da agremiação Estudantes de São José. A cerimônia reuniu homenagens de artistas locais como o poeta popular Toninho Mendes, o músico Rafael Oliveira Queiroz acompanhado da zabumba, o solo de teclado do Sargento Cordeiro da Polícia Militar e cantor Telmo Santiago. Também estiveram presentes para cumprimentar a cantora os sambistas recifenses Belo Xis, Gerlane Lops e Karynna Spinelli.

O honraria que celebra a contribuição da artista à cultura pernambucana, foi proposta pelo presidente da Alepe, o deputado Eriberto Medeiros, em junho deste ano e foi aprovada por unanimidade. “É razão de orgulho e emoção ter tido a iniciativa de propor esse título a uma das maiores e mais queridas cantoras do Brasil, que tão bem representa o samba. Com sua voz potente e sorriso largo conquista a todos”, diz o parlamentar, parabenizando a nova pernambucana. O presidente dividiu a mesa com a vice-governadora Luciana Santos, o presidente do Tribunal de Justiça, Adalberto de Oliveira e o secretário de políticas de prevenção a violência e as drogas do Estado, Clóvis Benevides.

Vestida com um gibão colorido, Alcione destaca que receber o título pernambucano, é também reafirmar suas origens nordestinas. “Tem três coisas que eu carrego na minha vida e mexem diretamente comigo. Sou negra, mulher e nordestina com muito orgulho, quem falar de qualquer uma delas, me atinge diretamente”, pontua a artista, que foi presenteada com uma xilogravura do pernambucano J Borges. “A música é o instrumento sagrado de toda a minha vida e de toda minha família. Essa homenagem é um toque de ternura, de beleza e de alegria, confirmando o amor que o povo pernambucano sempre me deu. Estou honrada”, afirmou.

Filha de um professor de música, Alcione revelou que os primeiros sons que aprendeu no trompete foi frevo e choro. “Meu pai disse que eu precisava começar pelo mais difícil e tive que aprender desde cedo o frevo, que é tão importante para pernambuco. É bonito de ver como vocês defendem a música e a cultura daqui, é o que tenho mais orgulho”, destaca. Com quase 50 anos de carreira na música, a artista já se apresentou nos principais palcos do Brasil e levou a cultura brasileira a mais de 30 países. Por: Viver/Diario

Comentários

Anterior Proxima Página inicial