O bicho vai pegar: caminhoneiros aderem à greve dos petroleiros


Era tudo que o governo de Jair Bolsonaro (sem partido) não queria: a união de petroleiros e caminhoneiros numa greve nacional.

Os petroleiros são os responsáveis pela extração e refino do petróleo, que vira os combustíveis para o consumo final; os caminhoneiros são os responsáveis pelo abastecimento dos 42 mil postos existentes no Brasil.

O incompetente governo conseguiu unir a fome com a vontade de comer.
A Associação Nacional dos Transportadores Autônomos do Brasil (ANTB) anunciou neste sábado (15) que a categoria vai aderir e prestar total apoio à greve nacional dos petroleiros, que já dura 15 dias e paralisou 114 unidades do sistema Petrobras.

Em carta publicada no site da Sindipetro, os caminhoneiros também lançam campanha para avançar na luta contra a política de preços dos combustíveis adotada pela Petrobras.

Segundo o presidente da ANTB, José Roberto Stringasci, a política de preços é um assunto que “precisa ser discutido com toda a sociedade, que é afetada em todos os setores por causa dos altos preços dos combustíveis. E se nós temos o petróleo e a Petrobras, não é possível mais aceitarmos essa cobrança inadequada na bomba”.

A entidade representativa dos petroleiros acusam o governo Jair Bolsonaro de vender as refinarias para beneficiar importadoras e outras empresas estrangeiras.

“Sim, é possível faltar combustíveis a partir da semana que vem. Por isso alertamos a população que abasteça seu carro, seu caminhão e compre seu gás de cozinha”, avisam os grevistas, imputando o desabastecimento à intransigência da direção da Petrobras.

As lideranças grevistas acusam ainda o governo de ser o responsável pelos preços abusivos dos combustíveis no País.

Com informações do portal Brasil 247 e Revista Fórum.

Comentários

Anterior Proxima Página inicial