sexta-feira, 7 de fevereiro de 2020

'Luciano Huck é um estagiário', diz Ciro Gomes em entrevista a Marco Antonio Villa


JC Online e Estadão Conteúdo

Em entrevista ao historiador e comentarista político Marco Antonio Villa, divulgada nessa quarta-feira (5), o ex-governador do Ceará e ex-candidato a presidente Ciro Gomes (PDT) chamou o apresentador e potencial candidato à presidência em 2022 Luciano Huck de "estagiário" ao dizer que ele não poderia ser eleito para o Planalto porque não tem experiência na administração pública e não saberia conduzir a economia.

"Na mesma hora que o consumo se anima, explode a importação, que é o fenômeno que derrubou Dilma. Quando Lula implode a importação, estamos vendendo petróleo a $ 110 o barril. Essa importação com a Dilma ficou desfinanciada porque o petróleo caiu para $ 30. Essa é a explicação e vai acontecer agora com Bolsonaro. Cresceu dois pontos, o País quebra... Por isso, não podemos botar um estagiário mais na presidência da República", disse o pedetista. Quando foi questionado por Villa sobre quem seria o estagiário, Ciro respondeu que era Huck. 

"Para mim, é o Luciano Huck. Isso é inacreditável. Eu até tenho medo de ofendê-lo porque tenho uma relação cordial com ele e com Angélica, não é nada disso, eu não sei como ele se propõe", acrescentou.

Bolsonaro, FHC e Lula

Ciro também classificou o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e os ex-presidentes Fernando Henrique Cardoso (FHC) e Luiz Inácio Lula da Silva (PT) como 'estagiários' por não terem experiência prévia na administração pública antes da presidência da República.

"É assim, eu paro numa esquina e vejo malabaristas, acho maravilhoso. Não tenho capacidade mental para treinar aquilo. Vou pegar meu filho com apendicite e dar para um malabarista cuidar? Não dá. Bolsonaro é um estagiário, nunca administrou nada nem na vida pública e nem na privada, primeira experiência é a presidência da República. Fernando Henrique nunca administrou nada. Lula nunca administrou nada. Será que o Brasil não está vendo isso?", questionou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário