sexta-feira, 8 de maio de 2020

Epicentro da pandemia na América Latina, Brasil preocupa vizinhos


O Brasil é o epicentro da pandemia de Covid-19 na América Latina e seus vizinhos se mostram preocupados com a evolução da crise no maior país da América do Sul, onde o presidente Jair Bolsonaro se opõe publicamente às medidas restritivas para conter o avanço da doença.

O país, que soma 125.218 casos de Covid-19 e 8.536 mortes desde o início da pandemia, faz fronteira com dez países: Colômbia, Venezuela, Guiana, Suriname, França (através da Guiana Francesa), Peru, Bolívia, Argentina, Paraguai e Uruguai.

Para se ter uma ideia da magnitude da crise no Brasil, cabe destacar que os países fronteiriços somam, juntos, 72.000 casos do novo coronavírus. E muitos especialistas consideram que o total de contagiados no país poderia ser 15 vezes superior ao informado pelas autoridades brasileiras, pois só são feitos testes de detecção em pacientes graves.

Por isto, à espera de que o pico da pandemia chegue nos próximos dias em diferentes pontos da região, vários países observam com preocupação seu vizinho, enquanto Bolsonaro desconsidera a gravidade da pandemia e incentiva a população a desrespeitar as medidas de distanciamento social impostas por governadores e prefeitos para tentar contê-la.

Na Argentina, que mantém uma quarentena nacional desde 20 de março, o presidente Alberto Fernández expressou várias vezes sua inquietação com o avanço da epidemia no Brasil e a atitude de Bolsonaro.

"Obviamente que é um risco muito grande (...) Aqui estão entrando caminhões do Brasil transportando cargas de São Paulo, que é um dos locais mais infectados" do país, declarou Fernández nesta quarta-feira à Rádio con Vos.

Semanas atrás, durante entrevista ao portal El Cohete a la Luna, o presidente peronista de centro-esquerda, já havia lamentado que no Brasil, principal parceiro comercial da Argentina, "ninguém" estivesse "respondendo ao problema do coronavírus com seriedade". Por: AFP.

Nenhum comentário:

Postar um comentário