terça-feira, 30 de junho de 2020

Janaina Paschoal: 'Eduardo quer derrubar Bolsonaro para concorrer em 22'

A deputada estadual Janaina Paschoal (PSL-SP) acredita que o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) quer derrubar seu pai, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido), para surgir como alternativa na eleição de 2022. Após deixar o apoio incondicional ao governo, a jurista afirmou que essa seria uma tática do parlamentar para driblar uma norma que impede que filhos sucedam seus pais em cargos do executivo.

"Cheguei a conversar sobre isso com o [ex-] ministro [Gustavo] Bebianno antes dele falecer. Passa na minha cabeça, e é louco, sei que é, que Eduardo quer derrubar o pai para poder se apresentar como alternativa em 22, com o discurso do golpe", afirmou a deputada em entrevista à Marie Clare.

Ela defendeu que Eduardo Bolsonaro é uma liderança forte da ala olavista do governo e tem conversado com líderes internacionais para se articular.

"O Eduardo tem muita influência sobre o [deputado estadual] Gil Diniz (PSL-SP), sobre o [deputado estadual] Douglas Garcia (PSL-SP). Sobre o Edson Salomão, que é chefe de gabinete do Douglas. Sobre a [deputada federal] Carla Zambelli (PSL-SP). Ele tem uma liderança sobre eles. Foi para o exterior, visitou líderes. Tudo isso me parece mais uma dinâmica que atende a Eduardo do que ao pai", explicou.

Na opinião de Janaina, a postura do parlamentar se aproxima do discurso usado pelo PT para apontar que a ex-presidente Dilma Rousseff foi vitima de golpe em seu processo de impeachment. "O discurso do golpe é um baita discurso para o PT e também está sendo usado pelos bolsonaristas desde o início do governo", disse a jurista que é autora de pedido que retirou Dilma da presidência.

"É um discurso que tende a uma candidatura em 22 que vai se mostrar como golpeada também. Um drama. Será que esse menino não está ajudando nesse processo de derrubada do pai?", perguntou a deputada. "'Olha aí, cercearam meu pai, que quase morreu pelo país', e aí ele aparece mais jovem, mais forte, numa versão atualizada do pai destruído pelo golpe? Eu ouso, né?", disse.

Crítica do governo Bolsonaro, Janaina ainda defende que o presidente renuncie ao cargo por acreditar que nenhum crime foi cometido no mandato. "E vou dizer o quê?! É muita loucura, muita confusão. Como o povo vai aguentar isso por mais dois anos? Como o povo vai aguentar isso no meio de uma pandemia e, depois, com as sequelas dela?", questionou. Do UOL, em São Paulo, veja matéria na íntegra aqui

Nenhum comentário:

Postar um comentário