segunda-feira, 31 de agosto de 2020

Imposto alto e pouca infraestrutura são o pior do Brasil, diz CEO da Fiat

O presidente da Fiat Chrysler para a América Latina, Antonio Filosa, 47 anos, diz que a alta carga de impostos sobre as empresas e uma infraestrutura deficitária são o pior do Brasil.

O executivo explica que a companhia tem fábricas brasileiras com tecnologia de ponta. Porém, segundo ele, as unidades não conseguem ser tão competitivas como as de nações do mesmo porte.

“O setor automobilístico no Brasil tem uma competitividade muito menor que o do México, da Ásia e da Europa. E não é por causa da tecnologia. As nossas fábricas e as dos nossos fornecedores são igualmente automatizadas. Por exemplo, o polo automotivo de Goiana [Pernambuco] é o mais avançado da FCA [Fiat Chrysler Automobiles] no mundo inteiro”, diz.

Filosa preside a divisão da FCA para a América Latina desde 2018. A companhia conta com 26.000 colaboradores na região. O grupo detém as marcas Fiat, Chrysler, Jeep, Alfa Romeo, Maserati, Dodge e Ram.

Italiano, Filosa fala português com fluência. Ele deu entrevista ao jornalista Fernando Rodrigues, apresentador do Poder em Foco. O programa é uma parceria editorial do SBT com o jornal digital Poder360.

Nenhum comentário:

Postar um comentário