quinta-feira, 10 de setembro de 2020

Parlamentares e especialistas defendem reabertura das escolas

Parlamentares e especialistas defenderam a volta às aulas presenciais com medidas seguras de prevenção contra o coronavírus. Durante audiência pública da Comissão Externa da Câmara que acompanha as medidas de combate à Covid-19, nesta quarta-feira (9), relatos mostraram experiências diversas de enfrentamento à pandemia pelos sistemas educacionais de outros países.

O representante da Agência Nacional de Educação da Suécia, por exemplo, informou que apenas as escolas secundárias foram fechadas, porque o governo avaliou que o ambiente escolar era mais adequado para proteger as crianças do vírus. O governo sueco, no entanto, recebeu críticas pela decisão de manter o funcionamento do país sem alterações significativas.

Países orientais, como Japão e Coréia do Sul, fecharam as escolas por alguns períodos e reabriram com medidas de segurança, escalonamento de horários e monitoramento de infectados. O representante do governo coreano, Jang Lee, afirmou que, mesmo com todos os cuidados, o medo de exposição dos alunos ao coronavírus continua, mas que não há "solução mágica" para a prevenção.

“Não existe o tempo ideal de voltar às escolas. Cada país tem diferentes situações, diferentes maneiras de lidar com a Covid-19, inclusive adotar as aulas presenciais ou não. Isso sempre com base na avaliação dos riscos e benefícios na reabertura das aulas”, disse Lee.

"Vítimas ocultas"
Representante no Brasil do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), Florence Bauer defendeu a reabertura urgente das escolas, apontando que além da educação, elas colaboram com a nutrição, a proteção e a saúde mental dos alunos. Ela classificou crianças e adolescentes como “vítimas ocultas da pandemia” e afirmou que municípios com situação melhor em relação à Covid-19 devem retomar as atividades com todas as medidas de segurança. (Agência Câmara)

Nenhum comentário:

Postar um comentário