sábado, 31 de outubro de 2020

Banco Mundial empresta US$ 1 bilhão para ampliação do Bolsa Família

O governo brasileiro tomou um empréstimo de US$ 1 bilhão (cerca de R$ 5,7 bilhões na cotação atual) com o Banco Mundial. O recurso será usado na ampliação do Bolsa Família em 2021, conforme informou nesta sexta-feira (30/10) o Banco Mundial. A informação é de Marina Barbosa do Correio Braziliense.

"O projeto financiará a ampliação do programa, e expandirá a proteção para ao menos 1,2 milhão de famílias pobres que continuarão a precisar de apoio após o fim do auxílio emergencial", informou o Banco Mundial.

A instituição considera a ampliação do Bolsa Família importante "uma vez que as medidas de auxílio emergencial têm prazo para expirar, e o mercado de trabalho continua devagar". Além disso, o Banco Mundial lembrou que "a recuperação da crise do novo coronavírus deve acontecer de maneira gradual e desigual, com milhares de famílias a mais precisando de ajuda em 2021", o que pode aumentar a pobreza no país em 2021.

"Essa parceria com o Banco Mundial nos permitirá incluir famílias que se tornaram temporariamente pobres ou que não estavam cadastradas no programa anteriormente,” disse o ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni, ao Banco Mundial.

A expectativa é que 3 milhões de pessoas, incluindo 990 mil crianças e jovens e 7 mil indígenas, estejam entre as 1,2 milhão de famílias que poderão ser incluídas no Bolsa Família por meio desses recursos. Com isso, o número de famílias atendidas pelo programa de transferência de renda deve chegar a 15,2 milhões.

Nenhum comentário:

Postar um comentário