quinta-feira, 29 de outubro de 2020

Compesa reforça orientações sobre a importância da correta ligação de esgoto à rede coletora

Uma interligação equivocada ou irregular de água de chuva no sistema de esgotamento sanitário pode ocasionar extravasamentos, entupimentos e transtornos, além de prejudicar o processo de tratamento do esgoto. Responsáveis por coletas distintas, a rede de esgoto transporta os efluentes sanitários gerados pelas residências e estabelecimentos comerciais até uma Estação de Tratamento de Esgoto (ETE), enquanto as galerias de águas pluviais (ou rede de drenagem) tem a função de escoar a água da chuva de áreas urbanas e levar até os rios, córregos ou ribeirões.

Por isso, a Compesa, por meio do Programa Cidade Saneada, desenvolvido em parceria com a BRK Ambiental na Região Metropolitana do Recife (RMR), alerta sobre os problemas que surgem quando ocorrem interferências entre os dois sistemas. Quando uma rede de águas pluviais é interligada irregularmente ao sistema de esgoto, prejudica o tratamento, sobrecarrega e compromete a estrutura física das tubulações de esgoto – que não são dimensionadas para esse tipo de fluxo, além de causar entupimentos e vazamentos, seja em vias públicas ou até mesmo no interior das residências. Já quando um ramal de esgoto é interligado diretamente nas tubulações de galeria de água pluvial, esse efluente não recebe o devido processo de tratamento, resultando em prejuízos ao meio ambiente.

“Seguir as orientações para a correta conexão do imóvel à rede pública de coleta de esgoto é fundamental para evitar transtornos. Essa é uma medida que ajuda a manter o bom funcionamento da galeria de águas pluviais e do tratamento do esgoto. Afinal, contribuir para a preservação do meio ambiente é um dever de todos nós”, comenta Flávio Coutinho, diretor de Negócios e Eficiência da Compesa. Caso identifique alguma ligação irregular, você pode ligar gratuitamente para o atendimento da Compesa (0800 081 0185).

“As redes coletoras de esgoto são dimensionadas para transportar apenas a vazão de esgoto na sua área de atuação. Outras contribuições, a exemplo das ligações irregulares de drenagem, causam obstruções e extravasamentos, e levam transtornos a toda a comunidade”, alerta Adriano Barbosa, diretor de Operações da BRK Ambiental.

Nenhum comentário:

Postar um comentário