quinta-feira, 22 de outubro de 2020

Governadores podem ir ao STF contra Bolsonaro por compra de vacinas

Poder360: O governador de São Paulo, João Doria (PSBD-SP), afirmou nesta 4ª feira (21.out.2020) que ele e outros governadores podem acionar o STF (Supremo Tribunal Federal) contra o presidente Jair Bolsonaro se ele não recuar da decisão de não comprar as 46 milhões de doses da CoronaVac.

“Vamos esperar pelo menos 48 horas. Se até 6ª feira não houver nenhuma medida de recuo por parte do governo federal para fazer aquilo que deve fazer, apoiar as vacinas, inclusive a vacina do [Instituto] Butantan, que é a vacina do Brasil, nós saberemos quais medidas poderão ser adotadas, seja por São Paulo, seja pelos governadores”.

O governador falou logo depois de 1 encontro com o presidente do Supremo, ministro Luiz Fux. Doria disse que foi uma visita de cortesia. Segundo ele, os 2 também debateram processo em tramitação no STF a respeito da cobrança do ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) sobre o gás da Bolívia. Os paulistas são parte na ação.

Na 3ª feira (20.out.), o Ministério da Saúde havia anunciado que iria adquirir 46 milhões de doses da CoronaVac. Eis o anúncio (84 KB) feito pela pasta. Nesta 4ª (21.out), no entanto, o presidente Jair Bolsonaro decidiu cancelar o acordo.

A reportagem do Poder360 apurou que Bolsonaro enviou mensagens a ministros com o seguinte teor: “Alerto que não compraremos vacina da China. Bem como meu governo não mantém diálogo com João Doria sobre covid-19“.

O secretário-executivo do Ministério da Saúde, Elcio Francoque, disse que houve “interpretação equivocada” do acordo firmado pela pasta para a aquisição de 46 milhões de doses da CoronaVac, a vacina contra covid-19 desenvolvida pela farmacêutica chinesa Sinovac Biotech em parceria com o Instituto Butantan, de São Paulo.

Depois do encontro com Fux, Doria afirmou que não trataria seu ministro da Saúde “como o presidente Bolsonaro trata o seu”. O tucano disse que os governadores devem ter uma reunião nos próximos dias, ocasião em que devem “se posicionar” a respeito das medidas a serem adotadas no caso.

Assista (6min39seg) à entrevista do governador, em Brasília, nesta 4ª feira (21.out):

Nenhum comentário:

Postar um comentário