quinta-feira, 1 de outubro de 2020

Turismo rural pode auxiliar na retomada do setor pós pandemia

O Dia Mundial do Turismo, lembrado no último dia 27 de setembro, foi celebrado dentro de um contexto nunca visto antes, um dos maiores segmentos da economia mundial é também um dos mais impactados economicamente pela pandemia de Covid-19. O tema escolhido para o ano de 2020 foi “Turismo e Desenvolvimento Rural”, e um dos objetivos do Ministério do Turismo foi promover uma reflexão sobre o ambiente fora dos centros urbanos e o papel que desempenham no tocante à preservação do patrimônio cultural e natural e para o turismo sustentável em tempos de coronavírus e pós-pandemia.

A Confederação Nacional de Municípios (CNM) acredita que o turismo rural tem o potencial de alavancar a renda dos Municípios, gerando empregos diretos e indiretos, desenvolvendo e valorizando os patrimônios culturais, materiais e imateriais, além de resguardar o meio ambiente.

Para a entidade, a prestação de serviços em ambiente rural faz com que o turista desbrave as práticas comuns da vida no campo como o manejo de criações e as manifestações culturais, enquanto aprecia paisagens diferentes das encontradas nos centros urbanos. A agregação de valor também é explorada pela possibilidade da verticalização da produção de pequena escala, no beneficiamento dos produtos in natura. O turismo rural é fundamental para a retomada do turismo, atendendo à demanda do turista pós-pandemia.

Para a retomada do turismo no Brasil, o Ministério do Turismo aposta no crescimento das viagens domésticas, de curta duração, onde as pessoas irão buscar o contato com a natureza, as atividades ao ar livre entre amigos e familiares, isso vai de encontro com a definição de turismo rural. A Organização Mundial de Turismo (OMT) declarou 2020 como o "Ano Internacional do Agroturismo e Turismo Rural”.

De acordo com dados do MTur, a visitação às propriedades rurais é uma prática muito comum no Brasil, mas somente passou a ser considerada como atividade econômica e caracterizada como turismo rural há pouco mais de vinte anos. Na década de 80 passou a ser vista com profissionalismo quando determinadas propriedades em Santa Catarina e Rio Grande do Sul, que passavam por dificuldades econômicas no setor agropecuário, encontraram amparo na diversificação das atividades e começaram a receber turistas.

O turismo rural se fortalece pela necessidade que o produtor tem de incrementar sua fonte de renda e agregar valor aos produtos unidos à vontade dos moradores urbanos de reencontrar suas raízes, expandir o contato com a natureza, com o modo de vida local, as tradições e costumes, e a curiosidade sobre as formas de produção das populações do interior.

Da Agência CNM de Notícias, com informações do MTur

Nenhum comentário:

Postar um comentário