terça-feira, 3 de novembro de 2020

Operação Lei Seca registra aumento de 61% nas autuações por alcoolemia

Em apenas três meses, a Operação Lei Seca (OLS) em Pernambuco registrou um aumento de 61% nas autuações por alcoolemia no Estado, em comparação com o mesmo período do ano passado. Os dados são relativos aos meses de julho a setembro, quando as blitzes retomaram as ações de fiscalização no trânsito e as realizações dos testes do etilômetro este ano, após quatro meses auxiliando o Governo de Pernambuco em ações estratégicas desenvolvidas pelas secretarias de Estado durante a pandemia da Covid-19.


Enquanto em 2019, nesse mesmo período, foram registrados 984 infrações (sendo 177 constatações do uso de álcool, 34 crimes e 773 recusas ao bafômetro), neste ano, foram 1.585 autuações pelo consumo de bebida alcoólica (sendo 208 constatações, 25 crimes e 1.352 recusas), o que representa um aumento de mais de 60%.

"Mesmo com uma redução de 37% no quantitativo de veículos abordados em relação a 2019, por conta dos quatro meses de pandemia, houve um aumento expressivo nas autuações envolvendo o consumo de bebida, especialmente a recusa ao teste. Desde julho, com a reabertura gradual dos estabelecimentos, voltamos às ruas com todas as equipes e novos protocolos para garantir a segurança dos condutores abordados. Por isso, voltamos a pedir à população que colabore, que seja consciente na direção e não ponha em risco sua vida e a vida alheia", pontuou o coordenador da OLS em Pernambuco, Felipe Gondim.

A OLS abordou, entre os meses de julho e setembro deste ano, 40.506 veículos; já em 2019, foram parados 65.031 automóveis. Nesse mesmo período também houve aumento de 5% na remoção de veículos, com 813 carros guinchados, contra 773 no ano passado. Durante todo o ano de 2020 (que corresponde aos meses de janeiro a março e julho a setembro) já foram abordados 125.466 veículos, com total de 3.089 infrações por alcoolemia (447 constatações, 63 crimes e 2.579 recusas).  

SEGURANÇA - Cumprindo determinações sanitárias, a OLS utiliza piteiras descartáveis individuais para cada teste. O uso de álcool em gel nas mãos não traz nenhum prejuízo ao condutor no momento da abordagem. O equipamento para testagem de condutores é avaliado e certificado pelo Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro).

PROCEDIMENTOS - Para que sejam realizados os testes do bafômetro, o policial militar e/ou agente de trânsito que operar o etilômetro durante a fiscalização deve utilizar máscara cirúrgica ou N95, óculos de proteção ou face shield para contenção de gotículas ou aerossóis e luvas de procedimentos. O etilômetro é mantido o mais distante possível da face do operador, de forma que reduza o risco de contato com possíveis gotículas do sopro, sendo necessária a higienização das mãos a cada novo uso. Durante a realização das abordagens o fluxo de pessoas no interior da blitz também está sendo controlado para que não exceda a concentração de dez motoristas. Já os cones de sinalização delimitam o espaço em que cada pessoa deve aguardar nas áreas da blitz, garantindo 1,5 m de distância do outro.

PANDEMIA - Entre os meses de março e julho, a Operação Lei Seca (OLS) em Pernambuco, perante o cenário de pandemia e da diminuição do fluxo de veículos nas ruas, auxiliou o Governo de Pernambuco em diversas ações estratégicas desenvolvidas pelas secretarias de Estado. Os policiais militares participaram de ações conjuntas junto à Secretaria de Defesa Social de Pernambuco (SDS-PE) e as equipes de Saúde atuaram nas ações de Vigilância em Saúde, coordenadas pela SES-PE. A Operação Lei Seca também atuou na Operação Bar Seguro, onde equipes fiscalizaram se bares, restaurantes, lanchonetes e similares estavam obedecendo ao Decreto Estadual nº 48.832, que determinava que esses estabelecimentos só poderiam funcionar para entregas em domicílio ou como postos de coleta, sem poder receber clientes em seu interior.

Nenhum comentário:

Postar um comentário