quinta-feira, 18 de junho de 2020

Pernambuco autoriza reabertura de igrejas, templos e demais espaços religiosos

Igrejas, templos, terreiros e demais espaços de cultos religiosos estão autorizados a voltarem a funcionar em Pernambuco a partir da próxima segunda-feira, dia 22 de junho. A decisão foi anunciada pelo governador Paulo Câmara na manhã desta quarta (17) e vale para todo o território pernambucano - exceto para aquelas 85 cidades das regiões de Palmares, Goiana, Caruaru e Garanhuns, que não avançaram para a quarta etapa do Plano de Convivência com a Covid-19, elaborado pelo estado. As informações é do Diário de Pernambuco.

Para voltar a funcionarem, igrejas e templos deverão seguir protocolos rígidos de segurança sanitária e só permitir a ocupação de 30% de seu espaço. "Podendo chegar ao limite de 50 pessoas nos templos com capacidade até mil lugares e 300 pessoas, nos locais com capacidade acima de mil lugares", diz o governo, em comunicado à imprensa.

Preferencialmente, devem ser disponibilizados cadeiras e bancos de uso individualizado, em quantidade compatível com o número máximo de participantes autorizados para o local. No caso de bancos de uso coletivo, eles devem ser reorganizados e demarcados de forma a garantir o afastamento recomendado. 

Também deve ser realizado o controle do fluxo de entrada e saída de pessoas, e na hipótese de formação de filas, deve haver demarcação para manter o distanciamento mínimo. Sempre que possível, as portas de entrada devem ser distintas das de saída, havendo sinalização de sentido único, de modo a evitar que as pessoas se cruzem. 

"As atividades religiosas têm um papel fundamental para a sociedade, realizando ações sociais relevantes e asseguram o conforto espiritual, sobretudo em um momento tão difícil como o que estamos atravessando. Mas precisam ocorrer com consciência e a colaboração de todos. A pandemia não acabou e precisamos continuar com os cuidados necessários", afirmou Paulo Câmara, em pronunciamento divulgado nesta quarta. 

Antes, durante e depois da realização das celebrações religiosas, devem ser evitadas práticas de aproximação entre as pessoas e outras formas de contato físico, como dar as mãos, beijos, abraços, apertos de mãos, entre outros. Os protocolos completos podem ser consultados ao final da reportagem. "Todas essas regras foram discutidas com lideranças de cada religião e proporcionarão maior segurança a todos que frequentarem as celebrações", acrescenta o governador.

Nenhum comentário:

Postar um comentário